domingo, 10 de julho de 2011

UMA LIÇÃO DE MIKHAIL BOTVINNIK

UMA BATALHA HISTÓRICA

Botvinnik - O "Papa" do Xadrez Soviético

Alekhine foi o único campeão mundial
 a reter o título até a sua morte



Botvinnik Mikhail - Alekhine Alexander [D41]

AVRO - Holanda, 1938

[Mikhail Botvinnik]

1.Cf3 d5 2.d4 Cf6 3.c4 e6 4.Cc3 c5 No ano anterior no match revanche pelo campeonato mundial este sistema se produziu quatro vezes e foi empregado indistintamente por Euwe e Alekhine. Naturalmente escolhi a variante que leva uma posição característica do gambito da dama aceito por ser de meu inteiro conhecimento. 5.cxd5 Cxd5 6.e3 Cc6 7.Ac4 Parece que não se emprega esta jogada tão pronto se as pretas respondessem 7... Cf6; então o jogo se dirige a uma variante conhecida do gambito da dama aceito. É possível que meu adversário não percebeu esta circunstância e preferiu uma continuação menos tortuosa. 7...cxd4 8.exd4 Ae7 9.0-0 0-0 10.Te1 Esta posição pode ser atingida pelo Ataque Panov da Defesa Caro-Khan. As brancas aguardam até que as negras mostrem suas intenções em relação ao desenvolvimento do bispo da dama. 10...b6 É difícil dizer se este lance natural pode representar um erro decisivo. Com intenção de fianquetar o bispo da dama era obrigatório fazer previamente 10... Cxc3 11.bc3 e só agora 11... b6, como se encontra reiteradamente mais tarde na prática magistral em diversos torneios, por exemplo: Botwinnik - Ragozin partida de treinamento Moscou 1947. Também é possível 10... Cf6 10... Bf6 ou 10... a6. Agora as brancas trocam os cavalos em d5 depois do que o peão de e6 vai a d5 e o desenvolvimento do bispo por b7 perde o sentido e a posição do peão em b6 debilita sensivelmente a casa c6. 11.Cxd5 exd5

12.Ab5 Ad7 A troca dos bispos de casas brancas resulta inevitável e põe em relevo a insuficiência de 10... b6. Deveriam tentar 12... Ca5 que leva a um jogo complicado; seria desagradável a resposta 13.Ce5. A continuação 12... Ab7 13.Da4 Tc8 14.Af4, que se apresentou na partida NeiKirch-Sliwa (Sofia 1957) não aliviou a situação das pretas. 13.Da4 Cb8 [Em caso de 13...Tc8 14.Ad2 a6 (Se 14...a5 como na partida as brancas reforçam consideravelmente sua pressão posicional.) 15.Axc6 Axc6 16.Dxa6 ganhando.] 14.Af4 Axb5 15.Dxb5 a6 16.Da4 Mantendo o controle sobre c6 e ao mesmo tempo ameaçando 17.Axb8 e ganhar o peão de a6. As pretas só lhe restou como plano de jogo buscar as simplificações para aliviar sua precária posição. 16...Ad6 17.Axd6 Dxd6 18.Tac1 As brancas controlam ambas colunas abertas o que faz supor que uma delas será invadida solidamente. As pretas fazem lances forçados tentando alcançar defesa satisfatória. 18...Ta7

 [18...b5 19.Dc2 Cd7 20.Dc7 Dxc7 21.Txc7 Cb6 22.Tce7 e as brancas manteriam a vantagem] 19.Dc2! A coluna "c" é mais importante que a coluna "e", porque a casa e7 pode ser defendida no futuro com o rei e casa c7 mais distante do centro permanecerá vulnerável. 19...Te7 20.Txe7 Se 19... f6 então 20.Df5 com ameaça de trocar damas em e6 e passar a um final ganho. 20...Dxe7 21.Dc7 Dxc7 22.Txc7 A vantagem posicional das brancas no final é evidente. A torre sem oposição na coluna "c", em contra partida pela coluna "e" a torre preta não têm possibilidade de desenvolver atividade. Numa posição difícil Alekhine encontra as melhores respostas, desaloja a torre branca da sétima fila. 22...f6! 23.Rf1 [Naturalmente seria um erro 23.Tb7? por 23...Tc8! 24.Rf1 b5 25.a3 Tc1+ 26.Re2 Cc6 com possibilidades aproximadamente iguais, devido que as brancas perdem o controle da importante coluna "c". ] 23...Tf7 24.Tc8+ Tf8 25.Tc3! As brancas não têm vantagem material e a posição dos peões é quase simétrica, somente devido a diferente colocação das peças, as pretas encontram-se a beira do zugzwang. Assim por exemplo: 25... Cd7 25... Te8 25... Rf7 a torre branca regressa triunfante a casa c7 por isto as pretas estão obrigadas a um novo debilitamento na sua estrutura de peões avançando g e h para liberar o rei de sua defesa. 25...g5 26.Ce1 h5 Em resumo, isto conduz a que o peão de h5 seja um cómodo objetivo de ataque. Embora depois de 26... h6 27.Cc2 Rf7 28.Ce3 Re6 29.g4 com clara vantagem posicional para as brancas. Agora depois de 27.Cc2 Rf7 28.Tc7 Re6 as pretas reforçam substancialmente sua posição. 27.h4!

27...Cd7?! As pretas se encontravam diante de uma desagradável escolha, tomar ou não o peão? Nas variantes 27... gh 28.Cf3 ou 27... Rf7 28.Cf3 Alekhine temia a continuação 28.hg fg 29.Cf3 g4 30.Ce5 o que não se apresentava como convincente. Também contra 28... g4 29.Ce1 Re6 30.Cd3 Rf5 31.g3 Re4 32.Cf4 a posição das pretas resultaria crítica. [27...Rf7 28.Cf3 g4 29.Cg1 Te8 30.Ce2 Te4 31.Tc7+ Re6 32.Tc8 Cd7 33.Tc6+ Re7 34.Cg3+-] 28.Tc7 A primeira oportunidade que têm a torre branca regressa a sétima fila. 28...Tf7 29.Cf3 g4 30.Ce1 f5 31.Cd3 f4 Só assim se pode impedir que o cavalo branco ocupe f4. Embora, o peão de f4 necessita ser defendido constantemente. Para fixar antes de tudo esta debilidade considerada de suma importância , as brancas recusam ganhar um peão com 32.Cb4. 32.f3 gxf3 33.gxf3 a5 Necessário para prevenir o salto decisivo de cavalo a b4. 34.a4 Rf8 35.Tc6 Re7 36.Rf2 Tf5 37.b3 Rd8 38.Re2 Cb8 39.Tg6 [Em caso de 39.Txb6 Rc7 40.Tb5 Cc6 E ao preço de um peão as pretas reforçariam a posição de suas peças.] 39...Rc7 40.Ce5+- Ca6 Aqui a partida foi adiada e as brancas fizeram seu lance secreto, antes da continuação Alekhine me comunicou através de um intermediário que abandonava a partida se eu tivesse feito 41.Tg5. Eu não ia discutir este oferecimento e comuniquei a meu adversário que se ele achava que eu tinha feito um lance ruim então em realidade não devia fazer esta proposição, o qual lhe permitia infringir o segredo do lance. As brancas têm aqui mas de um caminho para a vitória. 41.Tg7+ [Na verdade 41.Tg5 é superior a Tg7+ por exemplo: 41...Txg5 (41...Tf6 42.Txh5 Rd6 43.Th7 Re6 44.Cd7 Tf7 45.Txf7 Rxf7 46.Cxb6 Re6 47.Cxd5 Rxd5 48.h5 Re6 49.d5+ Rf5 50.Rd3 Cc5+ 51.Rc4 Cd7 52.Rb5 Re5 53.Rxa5 Cf6 54.h6 Rxd5 55.Rb6 também com ganho matemático.) 42.hxg5 Rd6 43.g6 e as pretas não podem impedir a coroação.] 41...Rc8 42.Cc6 Vantagem decisiva. Agora as pretas já não podem manter por mais tempo a igualdade material. 42...Tf6 43.Ce7+ Rb8 44.Cxd5 Td6 [44...Te6+ 45.Rf2 Td6 46.Cxf4 Txd4 47.Rg3 Cc5 48.Cxh5 Cxb3 49.Cf6 Cc5 50.h5 Td6 51.Ce4 Cxe4+ 52.fxe4 b5 53.axb5 Tb6 54.Rf4 a4 55.e5 a3 56.Tg3 a2 57.Ta3 Txb5 58.Txa2 Rc7 59.h6+-] 45.Tg5 Cb4 A última esperança das pretas é o final de torres, porém sua posição é de tal ponto desfavorável que sem os cavalos tampouco se salvarão. 46.Cxb4 axb4 47.Txh5
47...Tc6 [Era desesperada 47...Txd4 por 48.Tf5! Rb7 49.Tf6 Rc7 50.h5] 48.Tb5 Rc7 49.Txb4 Th6 50.Tb5 Txh4 51.Rd3 E as pretas abandonam já que perdem mais um peão. Um dos finais, em que não há jogadas bonitas nem cálculos complicados; todos os lances parecem simples porém não é possível excluir nenhum deles, porque quase todos ficam unidos entre si solidamente e neste conceito se baseia toda a estratégia dos finais. Sem esta partida não me haveria atrevido, a empregar depois do torneio as conversações sobre o match pelo campeonato mundial. 1-0