quarta-feira, 4 de maio de 2011

UMA LIÇÃO DE KARPOV

 FALTA DE COORDENAÇÃO DAS PEÇAS

GM Anatoly Karpov
Pequenas vantagens, grandes vitórias!



Karpov,A - Wokenfuss [D38]

Bad Lauterberg, 1997

[Pinto,C]



São inúmeras as partidas instrutivas que conhecemos sobre exploração de vantagens conquistadas(dominação de colunas abertas, maior desenvolvimento, cravadas etc... No entanto, há muito tempo atrás, uma partida de Karpov Impressionou-me pela exploração de vários temas, dentro de uma linha geral de procedimento: A Exploração da Falta de Coordenação das Peças do Adversário. Vejamos a partida: 1.c4 Cf6 2.Cf3 e6 3.d4 d5 4.Ag5 Ab4+ 5.Cc3 h6 6.Axf6 Dxf6 7.e3 0-0 8.Ae2 merece atenção 8.Tc1 8...dxc4 9.0-0 novo simples e bom. Karpov não joga o então corriqueiro [9.Axc4 c5 (9...b6 10.0-0 Ab7 11.Ad3 Axc3 12.bxc3 Cd7 13.e4 e5= Spassky - Raskovsky, Soci, 1980) 10.0-0 cxd4 11.exd4 Cc6=] 9...b6 [9...c5 10.Ce4+/-; 9...Axc3 10.bxc3 b5 11.a4+/-] 10.Tc1 Ab7 11.Cb5!+/= ao acompanhar mais uma vez a partida, sou da opinião que o lance 11.Cb5 deve ter sido previsto no plano iniciado com 8.Ae2. Caso contrário, as pretas teriam tempo de desenvolver a ala da dama, o que juntamente com a má colocação do bispo em b4 é o primeiro alvo de atenção de Karpov, ou manter o par de bispos, ou ainda, atacar o centro branco com os lances Td8 e c5. Ë curioso verificar que se retrocedemos à análise do lance nove das pretas, veremos que se 9.... c5, então o branco jogaria 10.Ce4, ou seja, fazia parte do plano de Karpov, deixar o bispo em b4 fora de jogo, olhando para o nada. 11...a6 12.Txc4 [12.Cxc7 Axf3 13.Axf3 Ta7 14.Txc4 (14.Da4 De7-+) 14...De7 15.Dc2 b5-+] 12...axb5 13.Txb4 Txa2 14.Txb5 Ac6 15.Tb4 Cd7

Momento para uma nova valorização da posição. As pretas conseguiram desenvolver a ala da dama, mas as peças em c6 e d7 e os peões em c7 e b6 parecem encaixotados, ou seja, sem nenhuma coordenação. A debilidade do bispo em c6 e do peão em c7 são evidentes e alvo de futuros ataques por parte de Karpov. Alie-se aos problemas das pretas a torre solta em a2 e a dama em f6 que não desempenha nenhuma função na partida. 16.Tc4 Axf3 17.Axf3 c5 que azar de Wokenfuss. Ao se desfazer do problema do bispo e da debilidade em c7, surgiram novos problemas; o cavalo solto em d7 e a debilidade do peão em b6 18.Db3 Ta5 19.Td1 e5 20.dxc5 Cxc5 21.Dc2 ameaçando b4! 21...Ce6 22.b4 Ta7 23.Tc6 Td8 24.h3 [24.Txb6? e4 25.Ae2 (25.Txd8+ Dxd8-+; 25.Dxe4 Ta1 26.Dc2 Tdxd1+ 27.Axd1 Dd8-+; 25.Axe4 Ta1 26.Ad3 Txd1+ 27.Dxd1 Dc3-+) 25...Txd1+ 26.Axd1 Dd8-+ mais uma vez podemos notar a precisão de Karpov. O lance h3 é o único e decisivo.] 24...Txd1+ 25.Dxd1 b5
Observe como as poucas peças brancas atuam com extrema coordenação e com o próximo lance de centralização as brancas preparam o arremate. 26.Dd5 Dh4 27.Tc8+ Rh7 28.Dxe5 Cg5 29.Ag4 Te7 30.Af5+ simples não? 1-0